Máquina para extrair castanha da semente do pequi

Uma das tarefas mais trabalhosas dentro da Cooperuaçu é o que eles chamam de “roletar” o pequi, ou seja, despolpa-lo manualmente, utilizando uma faca e um pano, um a um. A equipe queria, inicialmente, desenvolver uma máquina para a roletagem de pequis. Não havia disponibilidade, no entanto, de pequis frescos para desenvolver a máquina e fazer testes, somente pequis congelados, que ao serem descongelados perdem a textura
original. Algumas encomendas recebidas pela cooperativa, no entanto, são de creme de pequi, que eles produzem processando as lascas dos pequis previamente roletados em um liquidificador. Nesse ponto os participantes e organizadores perceberam uma outra oportunidade: o desenvolvimento de uma máquina para despolpar pequi cozido, descongelado, sem necessitar do processo de roletagem, evitando a realização de uma das etapas mais trabalhosas no processamento da fruta. A máquina desenvolvida pela comunidade consiste em um barril com lâminas rasas em suas paredes internas. O barril é girado com uma manivela e os pequis cozidos são despolpados, liberando o creme, de forma que as sementes não se quebram, não liberando os espinhos internos. A máquina demonstrou-se funcional, o próximo passo seria fazer uma versão em aço inox, adequado às normas sanitárias para a comercialização do produto.