Máquina para processar jatobá

Outro produto do agroextrativismo vendido pela Cooperuaçu é a farinha de jatobá. Ela é obtida pela quebra manual dos frutos secos e posterior processamento das sementes em peneira para a liberação da polpa farinácea que as envolve. Afim de facilitar o processo produtivo, os comunitários desenvolveram uma máquina que quebra as cascas e extrai a farinha ao mesmo tempo, restando somente a peneiragem posterior para a obtenção da
farinha. A máquina consiste de um barril plástico com um eixo rotativo interno equipado com três marteletes metálicos. O dispositivo é acionado por meio de uma manivela, com uma transmissão de bicicleta, que acelera a rotação do eixo com os marteletes, cujo impacto quebra as cascas dos jatobás liberando suas sementes. A parede interna do barril é revestida com raladores que, por atrito, removem a polpa farinácea das sementes. Após esse processo, o conteúdo é removido por uma porta no barril e peneirado, separando a farinha das cascas e sementes do jatobá.